26 de jan de 2011

Voz passiva analítica e os concursos públicos... Aprenda mais...


            Queridos amigos do concurso público...

            A voz passiva tem caído frequentemente nas provas preparadas pelos principais institutos elaboradores de concursos, especialmente, pela Fundação Carlos Chagas. O candidato, cuja prova será elaborada pela FCC, deverá conhecer profundamente todas as “nuanças” dessa voz verbal.

            Por isso, resolvi escrever um pequeno artigo para ajudar os “amantes da língua”, os “concurseiros em geral” e os “curiosos” a fim de que aumentem seus conhecimentos sobre esse importante conteúdo.

            Vamos lá...

            A voz passiva é aquela que indica que o sujeito é o objeto da ação verbal, ou seja, o sujeito passa a receber, sofrer a ação verbal.

Observe:


ATIVA

PASSIVA
O rapaz apreendeu o novo conceito
à
O novo conceito foi apreendido pelo rapaz
O forte vento agitava as águas.
à
As águas eram agitadas pelo forte vento.
O grupo tem obtido bons resultados.
à
Bons resultados têm sido obtidos pelo grupo.
Venderam a casa.
à
A casa foi vendida. / ou / Vendeu-se a casa.


            Veja que os termos em negrito, na coluna da passiva, funcionam como receptores (recebedores) das ações verbais. São, portanto, denominados de sujeitos passivos ou pacientes.

à Apresentação:

            A voz passiva pode apresentar-se de duas formas:

a)     A voz passiva analítica
b)    A voz passiva sintética*

*Será abordada em outro artigo.

à Estudo da voz passiva analítica
à O processo analítico de formação

            A voz passiva é ditaanalíticaquando formada pelo verbo auxiliarser” (e mais raramente por outros verbosestar, ficar, ir, vir, andar, viver etc”) seguido do particípio do verbo que se deseja apassivar.
Exemplos:

a)     A Terra sempre foi iluminada pelo Sol. (foi = v. ser no pret. perf. + iluminada = particípio do verbo iluminar)
b)    Os homens estavam feridos pela metralhadora. (estavam = v. estar no pret. imperf. + feridos = particípio do verbo ferir)
c)     Eles ficaram perturbados pelo barulho. (ficaram = v. ficar no pret. perf. + perturbados = particípio do verbo perturbar).
d)    Os pais vinham acompanhados dos filhos. (vinham = v. vir no pret. imperf. + acompanhados = particípio do verbo acompanhar)

à Conversão da voz ativa para a voz passiva analítica

            Um dos assuntos mais exigidos pelos concursos é a mudança da voz verbal (ativa para passiva e vice-versa). Para obtê-la, é imprescindível que o candidato possua um certo conhecimento de sintaxe da oração, uma vez que, obrigatoriamente, deverá identificar três funções sintáticas para efetivar a transcrição: o sujeito, o verbo transitivo direto e o objeto direto. Sem esse conhecimento, fica bastante complicada a conversão.
Partamos de um exemplo bem simples:

  1. O rapaz comeu o bolo. (voz ativa) à 2. O bolo foi comido pelo rapaz. (voz passiva)



TABELA PARA CONVERSÃO
VOZ ATIVA

VOZ PASSIVA
1. O rapaz = sujeito da ativa
à
3. pelo rapaz (agente da passiva)
2. comeu = verbo transitivo direto
à
2. foi comido (v. ser + particípio)
3. o bolo = objeto direto
à
1. O bolo (sujeito da voz passiva)



*Observe que a tabela de conversão funciona no sentido anti-horário, ou seja, se a seqüência da voz ativa na ordem direta é SUJEITO + VTD + OBJETO DIRETO, converte-se para a passiva a partir do objeto direto da ativa que se tornará o sujeito da passiva e assim por diante.

*A figura do “agente da passiva” (termo que pratica a ação na voz passiva) aparece dentro da voz passiva analítica (raros são os casos de agente da passiva na voz passiva sintética). O agente da passiva sempre virá encabeçado por uma das preposições (por, pelo, pela, pelos, pelas, com, de, a.)

*Convém fazer uma importante observação:

Quer na forma analítica, quer na forma sintética, passam para a voz passiva os verbos transitivos diretos e os verbos transitivos diretos e indiretos em virtude de sua parte direta. o objeto direto é passível da transformação para sujeito paciente.

Dica:à Isso significa que os verbos transitivos indiretos (salvo exceções, como os verbos “obedecer e desobedecer”, por exemplo), os verbos de ligação e os verbos intransitivos são insuscetíveis de transcrição para a voz passiva. Logo, para resolver muitas questões de concursos públicos, basta identificar a transitividade do verbo.

Não esqueça à O verbo auxiliar da voz passiva analítica – provavelmente será o verbo “ser” – deverá ser flexionado no mesmo tempo e modo verbal em que se encontra o verbo principal da voz ativa o qual irá para o particípio na voz passiva. Ratificando: o tempo e o modo verbal do verbo principal da voz ativa “contaminarão” o verbo auxiliar da voz passiva. Ademais, lembre-se de que o particípio da voz passiva concorda em gênero e número com o sujeito passivo.

Veja:

* O Governo Federal publicará novas regras para a aquisição da casa própria. (Voz ativa)
à Publicará = Futuro do presente do indicativo

* Novas regras para a aquisição da casa própria serão publicadas pelo Governo Federal. (Voz passiva)
à serão (auxiliar da voz passiva) = Futuro do presente do indicativo
à publicadas = particípio da voz passiva – concorda em gênero e número com o sujeito “novas regras”.

Observe agora duas questões que exigem o conhecimento sobre a voz passiva analítica:

01. (FCC – Auditor TCE/AM) Na norma culta da Língua Portuguesa, é correta a seguinte equivalência entre formas da voz ativa e da voz passiva:

(A) O corpo, a linguagem e a história dos homens foram submetidos pela primeira vez a uma investigação sem preconceitos, que, por princípio, excluía a intervenção divina. = foi excluída.

(B) Isso é particularmente evidente no caso da medicina hipocrática, que definiu seus métodos refletindo sobre a noção decisiva de sintoma (semeion). = tinham sido definidos.

(C) Passando das civilizações mesopotâmicas para a Grécia, essa constelação alterou profundamente um de seus traços. = foram alterados.

(D) Nessa negação da transparência da realidade, um paradigma indiciário de fato operante em esferas de atividades muito diferentes encontrava implícita legitimação. = era encontrada.

(E) Uma diagnose de traumatismo craniano... podia ser encontrada num tratado de arte divinatória mesopotâmico = poderiam encontrar.

Gabarito: Letra D

02.(FCC – TRF 4ª Região – Analista Judiciário) Transpondo-se para a voz passiva a frase transmiti o respeito de meus pais pelas ficções, a forma verbal resultante será

(A) fora transmitido.
(B) transmitiram-se.
(C) foi transmitido.
(D) terá sido transmitido.
(E) transmitiram-me.

Gabarito: Letra C


            Abordaremos em outro artigo a voz passiva sintética.

            Um grande abraço e bons estudos.

            Prof. Rodrigo Bezerra

            Soli Deo Gloria!

3 comentários:

  1. Hei Belo, a gente acha que ja sabe tudo sobre esse assunto, mas vc sempre traz pormenores que nos deixam mais completos para entendermos melhor essa tão difícil língua. Valeu!

    ResponderExcluir
  2. Grato pelo artigo e seus esclarecimentos. São sempre bem-vindos!
    Um concurseiro
    DGA

    ResponderExcluir